Bioestatística                                                                          Clínica Médica - UFRJ

CURSO DE BIOESTATISTICA DO PROGRAMA DE MESTRADO E DOUTORADO EM CLÍNICA MÉDICA DA UFRJ. FACULDADE DE MEDICINA - PROF.  TITULAR LUÍS ALFREDO VIDAL DE CARVALHO

CRONOGRAMA DE AULAS

Nesta seção, você verá nosso plano de aulas. 

Entretanto, manda a pedagogia, que o plano seja uma trilha e não um trilho.

Este plano, assim como qualquer outro, é apenas uma intenção.

As aulas seguirão o andamento didático segundo as necessidades da turma, que é heterogênea em seus interesses, teses e formações anteriores.

Portanto, não se baseie religiosamente neste cronograma mas sim nas aulas de fato.

Ao final desta seção, você encontrará 3 livros em formato PDF, caso deseje textos complementares.

Também encontrará um software básico para cálculos estatísticos, caso deseje um.

Na internet é possível enconrar muitos softwares livres e online para realização de cálculos estatísticos.

"Life is what happens while you are busy making other plans",

 Allen Saunders, american cartoonist.

AULA 1 - 5 DE AGOSTO DE 2019

Caros colegas, em nossa primeira aula discutiremos brevemente a Teoria da Complexidade dos Sistemas. Hoje não é mais possível investigar o corpo humano através do Método Analítico de Descartes. Precisamos entender que o corpo humano é um sistema complexo e que dele emergem comportamentos ausentes em seus elementos isoladamente. Dividir em pedaços não é o melhor enfoque para o corpo humano pois as interações podem ser mais importantes que os pedaços. No enfoque sistêmico, temos que olhar o todo e não somente as partes.

 

Peço que leiam o texto abaixo:

 

 

 

INTRODUÇÃO À TEORIA DA COMPLEXIDADE.PDF

 

 

 

Abraço, Luis Alfredo.

VEJA UM PEQUENO VÍDEO SOBRE A TEORIA GERAL DOS SISTEMAS

AULA 1 - VÍDEO COMPLEMENTAR

AULA 1 - OUTRO VÍDEO COMPLEMENTAR

AULA 1 - MAIS UM VÍDEO COMPLEMENTAR

AULA 1 - ÚLTIMO VÍDEO COMPLEMENTAR


AULA 2 - 12 DE AGOSTO DE 2019

Caros colegas, em nossa segunda aula terminaremos de falar sobre a Teoria dos Sistemas Complexos e começaremos a falar do Método Estatístico. 

 

Peço que leiam o texto abaixo sobre as divisões da estatística que discutiremos em sala-de-aula:

 

 

 

INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA

 

 

Um abraço, Luís Alfredo.

 

 

AULA 2 - VÍDEO COMPLEMENTAR

AULA 2 - OUTRO VÍDEO COMPLEMENTAR

AULA 3 - 19 DE AGOSTO DE 2019

Estimados colegas, em nossa terceira aula falaremos sobre as fases do método estatístico que são essenciais à toda pesquisa na área médica.

 

Um abraço a todos, Luís Alfredo.

 

 

 

 

AULA 3 - VÍDEO COMPLEMENTAR

Como dissemos em sala, a Estatística é a ciência que estuda os dados oriundos dos fenômenos probabilísticos. Peço aos colegas que vejam o vídeo ao lado e que mostra um simples e interessante sistema probabilístico chamado de "A Máquina de Galton".  

 

Observe que várias bolinhas são descarregadas no eixo central de um painel com pinos. Cada bolinha ao se chocar com um pino tem  probabilidade de 50% de cair para esquerda e 50% de cair para a direita.

 

Pela lógica determinística, como nós estamos jogando cada bolinha no eixo central do painel, as bolinhas deveriam cair sempre na gaveta do centro ou em gavetas próximas. Entretanto, vemos que existem muitas bolinhas que vão cainda cada vez mais para a esquerda e outras cada vez mais para a direita, contradizendo nosso pensamento determinístico.

 

Existem gavetas na extrema direita e extrema esquerda que exigiram que as suas bolinhas, a cada vez que se chocassem com um pino, tomassem a decisão de cair sempre para um mesmo lado.  Isto é pouco provável, pois a probabilidade de cair para um lado ou outro é de 50%.  

 

Estas bolinhas escolheram cair na sequência direita, direita, direita, direita, até chegar na gaveta da extrema direita. Ou, esquerda, esquerda, esquerda, até chegarem na gaveta da extrema esquerda. O mais esperado seria que estas bolinhas caíssem alternadamente para esquerda e depois para a direita e assim sucessivamente, não se afastando muito do eixo central. 

 

No final, quando todas as bolinhas tiverem caído, veremos que a quantidade de bolinhas em cada gaveta forma uma curva em forma de sino, que estudaremos mais adiante e será chamada de curva normal.

 

Relembro aqui a Lei de Murphy que diz:  Se existe uma pequena chance de algo dar errado, então dará errado.

 

Assim, se existe uma pequena chance de bolinhas caírem nas gavetas distantes do centro, então várias bolinhas cairão lá.

 

O improvável está sempre ocorrendo. Daí a ciência da incerteza, chamada estatística ter seu valor.

 

 

 

 

A Máquina de Galton

AULA 4 - 26 DE AGOSTO DE 2019

Caros colegas, em nossa quarta aula falaremos sobre os conceitos de variáveis, população e amostra. 

 

Havendo tempo, falaremos sobre números aleatórios e pseudo-aleatórios.

 

Peço que todos imprimam uma cópia do arquivo anexo que é uma tabela de números aleatórios para aprendermos a fazer amostragens.

 

 

Tabela de Dígitos Aleatórios

 

 

Um abraço a todos, 

 

Luis Alfredo.

 

 

 

AULA 4 - VÍDEO COMPLEMENTAR - NÚMEROS PSEUDO-ALEATÓRIOS

AULA 4 - NÚMEROS ALEATÓRIOS REAIS

Criar números realmente aleatórios é um desafio para todos nós. Precisamos medir algum fenômeno físico que seja completamente autônomo em sua ocorrência. Por exemplo, as ondas eletromagnéticas produzidas por um raio durante uma tempestade, a emissão de fótons em um experimento de física quântica, a última tecla digitada em um computador escolhido dentre milhares em uma rede de computadores mundial, entre outros. Podemos também gerar um dígito aleatório através de um dado jogado ao ar ou através de uma roleta de jogos de um cassino.

 

Certas  áreas da ciência necessitam de números realmente aleatórios e estes podem ser comprados em empresasa especializadas.

 

Por exemplo, a www.random.org é uma destas empresas. Ela gera sequências de dígitos aleatórios através da medida de campos magnéticos gerados por tempestades de raios.  Ela nos disponibiliza uma pequena janela em seu site para gerarmos números aleatórios verdadeiros. Visite o site e veja como é simples obtê-los.

 

 

PSEUDO-ALEATÓRIOS VERSUS REALMENTE ALEATÓRIOS

Nos dois quadrados ao lado, vemos pontos gerados aleatoriamente e pseudo-aleatoriamente. Qual deles você acha ser aquele que foi gerado aleatoriamente de fato?

AULA 5 - 2 DE SETEMBRO DE 2019

Estimados colegas, 

 

em nossa quinta aula falaremos sobre técnicas de amostragem e utilizaremos a tabela de dígitos aleatórios que pedi que levassem impressa para a aula 4.

Peço que leiam o texto complementar abaixo sobre população, amostra e números aleatórios.

 

Texto Complementar

 

Um abraço a todos, Luis Alfredo.

 

 

AULA 5 - VÍDEO COMPLEMENTAR - AMOSTRAGEM


AULA 6 - 9 DE SETEMBRO DE 2016

Estimados colegas, em nossa sexta aula terminaremos as técnicas de amostragem e falaremos das representações gráficas dos resultados estatísticos que são muito importantes na estatística descritiva pelo seus usos nas teses e papers.

 

Gráficos em Estatística

 

 

Bom final de semana a todos, 

 

Luis Alfredo.


AULA 7 - 16 DE SETEMBRO DE 2019

Estimados colegas, em nossa sétima aula falaremos sobre a organização dos dados, desde primitivos, tabulados, passando pelo ROL e chegando aos dados agrupados. Havendo tempo, falaremos do traçado de histogramas e iniciaremos as medidas de centralidade.

 

Representação de dados numéricos

 

Abraço a todos, Luis Alfredo.

 


AULA 8 - 23 DE SETEMBRO DE 2019

 

Estimados colegas, em nossa oitava aula tomaremos um ROL e calcularemos as medidas de tendência central ou medidas de centralidade.

Após, aprenderemos a desenhar e interpretar o diagrama de Box and Whiskers, tão usado nos artigos da área de saúde.

 

Um abraço, Luís Alfredo.

Diagrama de Box and Whiskers ou simplesmente Box Plot

Whiskers são prolongamentos, fibras, traçados ou bigodes de gatos.


AULA 9 - 30 DE SETEMBRO DE 2019

Estimados colegas, em nossa nona aula  faremos exercícios. 

Peço que assistam o vídeo abaixo, muito bem feito, sobre o box and whiskers plot:

Vídeo Complementar

 

Um abraço, Luís Alfredo.

 

 

AULA 10 - 7 DE OUTUBRO DE 2019

Caros colegas, em nossa décima aula falaremos sobre as medidas de dispersão ou variabilidade dos dados.

 

Um abraço a todos, Luis Alfredo.

 


AULA 11 - 14 DE OUTUBRO DE 2019

Estimados colegas,

em nossa décima-primeira aula falaremos sobre uma segunda forma de organizar os dados, chamada de escore z.

 

Peço que leiam o texto abaixo sobre esta forma de organizar os dados, mais sofisticada que o já estudado ROL, e que permitirá que tiremos muitas conclusões sobre nossos dados primitivos.

 

O Escore Z

 

 

Um abraço a todos, Luis Alfredo.

 

 

AULA 12 - 21 DE OUTUBRO DE 2019

Caros colegas,

em nossa décima-segunda aula falaremos sobre aplicações importantes e imediatas do escore z.

Estas são a correlação entre duas variáveis e sua medida  chamada de índice de correlação de Pearson, além do conceito de regressão linear.

 

Uma cordial abraço a todos, Luis Alfredo.

Indice de correlação de Pearson para alguns gráficos de espalhamento.

Gráficos de espalhamento e seus índices de Pearson.

Regressão linear é descobrir a reta que melhor aproxime uma correlação.

O artigo no link abaixo é uma excelente leitura sobre correlação e regressão em clínica médica, especificamente sobre a densidade mineral óssea em mulheres sadias. Sugiro uma leitura rápida dando atenção aos gráficos de espalhamento e seus coeficientes de correlação. 

 

Correlação e regressão lineares em densidade mineral óssea

Exercício Prático Simples

 

Entrar no site abaixo

 

Calculador online de coeficiente de correlação de Pearson

 

e calcular e interpretar o coeficiente de correlação de Pearson para as duas variáveis da tabela

Idade Mulheres Sadias (anos)     Densidade Mineral Óssea Média (g/cm2)

-----------------------------------------------------------------------------------------------

40                                                               1.20

45                                                               1.15

50                                                               1.14

55                                                               0.95

60                                                               0.93

65                                                               0.92

--------------------------------------------------------------------------------------------

 

Correlação Não-Linear Espúria

A figura ao lado mostra uma forte correlação entre a quantidade de gibis lidos e o número de teses de doutorado defendidas nos E.U.A.

Assim, podemos parar de ler papers e lermos mais gibis!

Infelizmente, esta é uma correlação não-linear espúria que só existe por simples coincidência e por um período de tempo curto. 

Correlação não é causalidade e, em muitos casos, apenas uma coincidência inexplicável.

 

 

AULA 13 - 4 DE NOVEMBRO DE 2019

Estimados colegas,

na nossa décima-terceira aula discutiremos os índices de forma da distribuição dos dados (simetria e curtose) utilizando o escore z, estudado na aula anterior.

Estes índices são importantes porque nos permitem verificar se nossos dados podem ou não ser aproximados por uma curva "normal".  

 

Um abraço, Luis Alfredo.

Assimetria



Curtose


AULA 14 - 11 DE NOVEMBRO DE 2019

Estimados colegas,

em nossa décima-quarta aula falaremos sobre um padrão que se repete em muitas áreas da ciência que é a chamada curva "normal" ou curva de Gauss.

 

O material de leitura se encontra no link abaixo:

 

A Curva de Gauss 

 

Peço que imprimam a tabela da curva normal que se encontra no link abaixo.

 

Um abraço e até lá, Luis Alfredo.

TABELA DA CURVA NORMAL - ALTA RESOLUÇÃO - IMPRIMIR

AULA 15 - 18 DE NOVEMBRO DE 2019

Estimados colegas, na nossa  décima-quinta aula faremos exercícios sobre a curva de Gauss.

 

Peço a todos que levem a tabela padronizada da curva de Gauss em escore z novamente, pois iremos utilizá-la nos exercícios.

 

Lembro aos colegas sobre a atividade de extensão que se encontra anunciada na seção de avaliações e que tem sua data marcadda para a nossa última aula.

 

Um abraço a todos, Luis Alfredo.

 

 

AULA 16 - 25 DE NOVEMBRO DE 2019

Estimados Colegas,

 

em nossa décima-sexta aula falaremos sobre um importante resultado da estatística chamado de teorema central do limite.

 

Este teorema é o que liga a população às suas amostras, de forma que tendo-se amostras, podemos concluir propriedades da população.

 

Sem este teorema, não haveria como trabalhar com amostras de pacientes acreditando que seus resultados seriam generalizáveis para toda a população de indivíduos.

 

Peço que leiam o texto abaixo para nos prepararmos para a aula:

 

Click aqui

 

 

Um abraço a todos, Luis Alfredo.

AULA 17 - 2 DE DEZEMBRO DE 2019

Caros Colegas,

 

em nossa décima-sétima aula falaremos sobre os intervalos de confiança, através dos quais saberemos onde se encontra a média real de uma população em função da média de apenas uma amostra da população.

 

Esta é uma das aplicações do Teorema Central do Limite, discutido por nós na nossa aula anterior.

Peço que imprimam a tabela abaixo:

Tabela t de Student

 

Àqueles que faltaram à última aula, peço que leiam o texto da aula anterior sobre este importante teorema sem o qual nenhuma pesquisa clínica por amostras poderia ser realizada.

 

Vídeo Complementar - intervalo de confiança para amostras pequenas

 

Um cordial abraço, 

 

Luis Alfredo.

 

 

 

 

AULA 18 - 9 DE DEZEMBRO DE 2019

Estimados colegas, 

 

em nossa décima-oitava aula falaremos sobre outra importante aplicação do Teorema Central do Limite que é a chamada de Testagem de Hipóteses. 

 

É uma aula muito importante!

 

Vocês precisarão formular e testar hipóteses em suas pesquisas.

 

Sei que todos estão cansados mas o assunto é de extrema necessidade para vocês. Peço que não faltem. Logo vocês estarão livres de mim!

O texto complementar abaixo será muito útil na compreensão da testagem de hipóteses. Peço que o leiam:

Testagem de Hipóteses

 

Um cordial abraço, Luis Alfredo.

 

 

LIVRO 1 - SIMPLES PORÉM EM INGLÊS

CAROS COLEGAS, APESAR DO CURSO DE ESTATISTICA MEDICA SER AUTO-CONTIDO EM SUAS AULAS E NAO REQUERER LIVROS, ENVIO EM ANEXO ALGUNS LIVROS APENAS PARA AQUELES QUE O DESEJAREM.

ABRACO A TODOS, LUIS ALFREDO


https://www.dropbox.com/s/eapfodua4aqzx92/ESTATISTICA%20I.pdf?dl=0

 

 


SOFTWARE ESTATISTICO DE SIMPLES USO PARA WINDOWS APENAS

COLEGAS, ABAIXO ENVIO UM SOFTWARE PARA ESTATÍSTICA BEM SIMPLE DE USAR.

 

É PARA SISTEMA WINDOWS.

 
SSP, SMITHS STATISTICAL PACKAGE.
 
CRIAR UM DIRETORIO NO SEU PC COM O NOME SSP E BAIXAR O ARQUIVO COMPACTADO ABAIXO:
 
 
DEPOIS, DESCOMPACTAR DENTRO DESTE DIRETORIO SSP E USAR.
 
ABRACO, LUIS ALFREDO.